[ENTREVISTA] PROJETO WATTPAD.

image

0- Antes de começarmos nos fale um pouco sobre você:

R- Meu nome é Talys Cidreira, sou natural do estado do Maranhão e formado em ciências contábeis. Tenho um livro publicado, chamado A Cidade de Marshmellow direcionado ao público infanto-juvenil, mas com uma linguagem universal. Pretendo lançar meu primeiro romance, Melancolia, nos próximos anos.

1- A quanto tempo você escreve? Quando descobriu seu amor pela escrita?
R- Escrevo há 20 anos já. Mas só publiquei meu primeiro livro há dois anos atrás. A paixão pela escrita creio que nasceu nas veias. Desde que me lembro, lia muito e gostava dos textos dos livros de português, revistas em quadrinho, mas o amor pela literatura aflorou com a série Vagalume.

2- Qual foi a primeira história que você escreveu?
R- Não lembro bem o nome, faz muito tempo. Mas era um romance simples, desses de colegial.

3- O quanto seus personagens têm de você?
R- Não vejo muito dos meus personagens em mim.

4- Qual é o seu livro e autor favorito?
R- Tarefa difícil. (Risos) Hoje eu diria Os Pilares da Terra, do Ken Follett, que também é um dos meus autores favoritos.

5- Já foi plagiado?
R- Acho que não.

6- Se considera um escritor de sucesso?
R- Não. Nem espero o sucesso, mas quero que um dia as pessoas leiam meus textos e reflitam sobre a vida.

7- As pessoas próximas a você sabe que você escreve?
R- Sabem sim. Recebo muito apoio.

8- Na sua opinião o que não pode faltar em uma história?
R- Além de um texto coerente, uma boa narrativa e identidade própria. Acho que cada pessoa tem uma identidade e os autores são assim, tem personalidade própria.

9- Como é sua rotina e processo de criação?
R- Escrevo quando tenho inspiração. Geralmente escolho um nome para a história e crio a capa enquanto estou com a ideia formada na cabeça. Após disso escolho os nomes dos personagens e começo o processo de escrita aleatório. Faço um primeiro rascunho com o esqueleto e depois vou desenvolvendo o roteiro e aprimorando aos poucos. Seguido de milhares de revisões.

10- Você prefere que tipo de leitor?
R- Gosto dos leitores sinceros, que façam crítica construtiva. Mas todo tipo de leitor é bem vindo.

11- Um livro que você recomenda:
R- Perfume, do Patrick Suskind.

12- Como leitor, que tipo de história você não lê de jeito nenhum?
R- Não tem algo que não leia de jeito nenhum, desde que o texto seja bom, leio de tudo.

13- Deixe um pequeno trecho de uma de suas obras para nos instigar:
R- “A natureza semeava a paz enquanto o homem instaurava a guerra. A mediocridade se arrastava como uma peste. A sabedoria morria quando a arrogância prevalecia. O poder e a ganância oprimiam e massacravam. Idéias eram implantadas, induzidas e disseminadas. O conhecimento transformava-se em cinzas. E houve tempos de fome, de sede e de doenças. E de nação contra nação. E de líderes consagrados como heróis quando na verdade eram uma farsa. A intolerância e a violência prevaleceram. Judeus, homossexuais e todos que fossem contra seu regime de opressão eram perseguidos, torturados e mortos. A França estava dominada pelos alemães e seu povo sendo humilhado.
Liberdade, igualdade e fraternidade tornou-se um lema utópico.
A glória se foi e só restaram os dias infernais.” – Trecho de MELANCOLIA.
14- Em poucas palavras como você resume sua obra já concluída de mistério e suspense chamada: Melancolia? Nos diga dá onde surgiu a ideia para a história? O que o leitor pode esperar desta obra?
R- Melancolia é um romance de suspense. Surgiu de minha paixão pelo período da guerra e a sucessão de mudanças que o mundo sofreu após ela ocorrer, essa época vintage com modo de vida em evolução. Também carrego nele um pouco de um dos meus artistas favoritos, Vicent Van Gogh e o retrato do circo daquela época. É uma experiência interessante escrever sobre um período em que você só conheceu através dos livros de história. Foi trabalhoso, precisei fazer dezenas de pesquisas, mas no final tive um bom resultado. A ideia partiu desse conjunto.
O leitor pode esperar muito mistério, suspense, romance, um toque gótico e uma trama cheia de acontecimentos que começa num ritmo lento e depois vai ficando sufocante. Espero que gostem.

15- Julga um livro pela capa?
R- Não julgo muito pela capa, julgo pela sinopse. Porém as capas me fascinam e já comprei muitos livros por causa delas.

16- O que você mais gosta e detesta aqui neste site?
R- Gosto do contato com os leitores e detesto as histórias relacionadas aos plágios (os plagiadores em si), acho desrespeitoso com os autores. O aplicativo também é irritante e cheio de bugs. Espero que atualizem para melhorar.

17- Como conheceu o Wattpad? Fez amigo aqui?
R- Conheci em grupos de leitura no Facebook. Fiz poucos, mas o suficiente.

18- Gosta de escrever em silêncio absoluto ou prefere ouvir música enquanto cria?
R- Escrever ouvindo música me inspira muito.

19- Se seus livros não existissem, ia fazer alguma diferença para alguém além de você?
R- Não saberia responder. (Risos)

20- Deixe um recado para seus leitores:
R- Gostaria de agradecer a todos que me apoiam e que lêem meus textos. Muito obrigado!

Obrigado pela entrevista.
Abraço.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s